Geralmente chamamos o nome de alguém quando queremos algo desta pessoa e não quando temos algo para ela. O chamado do nome, portanto, está mais relacionado a apresentação de demandas e não a apresentação de reforçadores. Pelo contrário, por vezes, quando chamamos a pessoa pelo nome, ela tem que interromper alguma atividade prazerosa à qual estava se dedicando. O que precisamos para a aquisição desta habilidade, portanto, é criar uma história que inverta esta lógica: atender ao nome chamado estará relacionado (pelo menos inicialmente) ao acesso a reforçadores e não a perda destes e/ou demandas.


Links relacionados ao Guia sobre Habilidades Sociais da SociAutism

Transtorno do Espectro do Autismo – TEA

O que são Habilidades Sociais – HS

Pessoas com TEA e HS

As HS são aprendidas

Reforçamento como procedimento de ensino

A Extinção e o DRO

Porque é tão difícil responder ao próprio nome

Instruções Gerais do Guia


Uma versão online do guia, com suporte tecnológico para registro e controle da evolução das habilidades sociais das pessoas treinadas, pode ser encontrada no endereço www.sociautism.com. Além disso, recomenda-se acessar o blog desse mesmo site, a fim de receber informações sobre as novidades da área, bem como atualizações desse guia com novos cenários de treinos a serem realizados.


Flavia Baião é Mestre em Análise do Comportamento (ABA) pela PUC de São Paulo, Especialista em Terapia Comportamental e Cognitiva pela USP, e Psicóloga do Núcleo de Terapia Comportamental - NuTeC (nutec.pi@gmail.com / 86 3222-4434 / Teresina-PI / https://www.facebook.com/nutecpi/ / https://www.instagram.com/nutecpi/)


Mais informações sobre a SociAutism em http://www.fb.com/sociautism ou http://www.instagram.com/sociautism